Untitled Document

- Dados Pessoais
Nome:    Antonio Carlos Costa Manso
  E-mail:    costa.manso@oi.com.br
  Aniversário:    1 / 5 (Dia / Mês)
Sexo:    Masculino Feminino
Telefone:    ( 35 ) 41020522
Celular:    ( )

- Onde mora 
UF/Cid.   MG / POUSO ALEGRE

- Outras informações
Meu bisavô materno (Pedro da Costa Manso) era um grande latifundiário na região de Piranguçu/MG e São Bento do Sapucaí/SP, isto no começo do século XX. Conta o primo mais velho de minha mãe (Pedro da Costa Manso Neto), hoje com 95 anos e residente em São Bento do Sapucaí, que meu bisavô era, na sua juventude, um rapaz de poucos recursos econômicos e que ele adquiriu grandes extensões de terras graças a sua disposição e trabalho na cultura de fumo no município de Piranguçu. Conta ele ainda que certa vez, meu bisavô fez uma enorme plantação de fumo ali pros lados onde fica hoje a Usina São Bernardo. Que na época de colher a lavoura, apareceu um interessado do Rio de Janeiro e lhe comprou toda a produção ainda na roça, pagando-lhe à vista e antecipado. Contudo tal comprador ao subir a serra de Piquete para buscar a primeira viagem da produção de fumo veio a sofrer um acidente fatal. Como a família não reclamou os direitos do falecido, meu bisavô tornou a vender a lavoura de fumo e com o lucro dobrado comprou outras terras na cidade de São Bento do Sapucaí/SP.

Na minha infância, ia com frequência na cidade de Piranguçu, principalmente na casa dos meus finados tio "Zicão" e Tia "Lica", os quais moravam na antiga rua dos vereadores, nº 200. Lembro da casa da Tia Lica, ou "Liquinha" como era chamada pelo moradores mais próximo, e que era casada em segunda núpcias com meu Tio Zico, sendo que de seu primeiro casamento ainda tem muitos filhos, netos e bisnetos morando em Piranguçu. Lembro que ela tinha um genro de nome "José Sales" que era dentista na cidade e que era muito famoso pelas suas dentaduras.

Hoje ainda tenho uns primos que moram próximo à Usina São Bernardo. Tenho a prima Vina e seu esposo João e mais os primos em segundo grau. Tenho a prima Aparecida e seu esposo Armando e por último a prima Naná que mora na antiga casa onde era uma das fazendas do meu avô, o finado Antonio da Costa Manso, o "Nico Costa", do qual fui homenageado com seu nome.